quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Vou exportar os meus dedos e as minhas mãos
Pois ao que parece são órgãos de valor acrescentado.
Como aquelas linhas em que se paga mais
Para se sentir melhor,
Vim sabendo que os tendões que compõe estas minhas terminações
São capazes de facetas e elogios que não cabem completamente em mim.

Não vendo barato
Claro está, apenas a posse a quem puder possuir.
Os nervos que aqui se encontram desejam o bem e o prazer
E dar a outro organismo apenas e somente satisfação.
A minha mão é a mão amiga
Que promove dar para receber na mesma medida.

Característica fundamental será
Possuir-se um coração dividido em quatro partes
Quatro partes funcionais que se encham e esvaziem
E um centro de operações cerebral
Que impeça estas mãos de cair nos mesmos erros
Em que caíram quando ainda eram os meus dedos.